Hidrogel de gengibre criado por biólogo brasileiro evita amputação em diabéticos

2 de janeiro de 2020

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) e o pesquisador Carlos Cleomir Pinheiro desenvolveram um hidrogel à base de gengibre amargo, capaz de evitar amputações das extremidades em pacientes que sofrem de diabetes.
Carlos vem desenvolvendo o hidrogel há cerca de 20 anos. Segundo o pesquisador, que é doutor em Biologia e Recursos Naturais, seu hidrogel foi testado em 27 pacientes diabéticos que sofriam com úlceras nos pés indicadas para amputação, alcançando a cura em 95% dos casos.
O gengibre amargo e suas propriedades químicas são altamente cicatrizantes, anti-inflamatórias, analgésicas e vasodilatadoras. Carlos diz que o produto vem sendo desenvolvido e testado oficialmente desde 2004, e que todos os pacientes com quem conversou e que utilizaram o hidrogel, afirmaram que a cura veio em menos de dois meses de uso.
Para produzir o medicamento em massa, o pesquisador criou a Biozer da Amazônia, uma empresa incubada no INPA. A Biozer não só produzirá o gengibre amargo como será responsável pela distribuição do hidrogel em mercados e farmácias.

Imagem: INPA

Todo este trabalho vem sendo conduzido com a ajuda da Unicamp, a Faculdade de Medicina do ABC, a Universidade Federal do Amazonas, Universidade do Estado do Amazonas e a Fundação de Controle da Oncologia do Estado do Amazonas. O hidrogel à base de gengibre amargo já teve sua patente requerida e aguarda apenas a liberação da Anvisa.